24 de mai de 2013

POSSO NÃO CHAGAR A VER UMA EDUCAÇÃO DECENTE NO BRASIL

Hoje amanheci "ungido" pelo espírito do Senador Cristovam Buarque. É que li uma matéria sobre a educação pública na Finlândia e lembrei dos tempos de militância no Movimento Estudantil onde as palavras de ordem eram: 12% PARA A EDUCAÇÃO (hoje dizem, na melhor das hipóteses, 10%) e VERBAS PÚBLICAS, SÓ PARA ESCOLAS PÚBLICAS (hoje a luta é para ampliar o ProUni, justamente o contrário). Nessa brincadeira, desde que sai do Movimento Estudantil, perdemos quase três décadas para a Educação, dois mandatos de FHC, dois do Lula e um da Dilma. O que tenho mais raiva são os últimos, pois nesses 11 anos de PT a Educação teve um tratamento marginal e privatizante, continuamos na merda. Tenho 49 anos, uma mudança significativa na educação levaria uns 20 ou 30 anos, ou seja, eu poderia está hoje num país com plena Educação, mas, devido a esses dois grupos políticos, o PSDB e o PT, mesmo que uma revolução comece hoje corro o sério risco de morrer sem ver o Brasil com uma educação decente.

Nenhum comentário: