23 de fev de 2013

É POSSÍVEL COMPARAR?

Uma coisa que andou incomodando recentemente foi a comparação entre Julian Assange e a blogueira cubana Yoani Sánchez. Não existe nenhum forma de comparação possível, são objetos e proporções totalmente descabidas.


O que é Assange e o WikiLeaks?
São uma espécie de grupo guerrilheiro. Será que os Estados Unidos pode formalmente acusar Julian Assange de ser um criminoso? Sim, pois o que ele fez é crime perante a lei. Seu crime foi a divulgação de grande volume de documentos confidenciais da diplomacia americana. Assange e o grupo que trabalha com ele colocou a vida de pessoas, militares e civis, em risco e destruiu o trabalho de muitos anos do corpo diplomático americano. São crimes gravíssimos.
Caso ele pise em solo americano será preso, julgado e condenado possivelmente a pena máxima, pois a pena é proporcional aos danos causados.
Assange fez espécie de “terrorismo”, de pirataria. Suas ações não são sustentáveis do ponto de vista jurídico. O que ele fez foi, de fato, uma agressão ao estado de direito estabelecido como respeito às leis. A atitude de Assange só pode ser justificada como uma ação guerrilheira, num estado de guerra, contra um poder incontrolável, um Leviatã, onde essas ações sejam justificadas como uma autodefesa do cidadão impossibilitado de agir militarmente e diretamente contra o poderio militar. Assim, seria Assange um guerrilheiro, um combatente moderno que usa uma nova arma e novas estratégias na luta de guerrilha, o ataque cibernético.
Essa é a dificuldade que os países têm em dar asilo a Assange. Fazer isso é reconhecer formalmente que existe esse estado de guerra, que os EUA é um Leviatã incontrolável e assassino. Nenhum país em uso plenos das suas faculdades mentais faria tal coisa por representar quase uma declaração de guerra.
O asilo político dado pelo governo do Ecuador foi um ato de grande coragem. Nenhum outro país, incluindo o nosso Brasil, teve tal petulância.
Assange e o seu grupo do WikiLeaks, são guerrilheiros cibernéticos, heróis verdadeiros do nosso tempo, para figurar em nomes de logradouros públicos e escolas por todo o mundo no futuro.

E o que é a blogueira cubana Yoani Sánchez?
Apenas isso, uma blogueira. Faz denúncias e mobiliza uns gatos pingados. Deve receber algum recurso vindo dos EUA? Claro, nos EUA qualquer tipo de apoio significa dinheiro. Existe algo de errado na moça desejar juntar o dinheiro das viagens, apoios e das aparições para criar o seu próprio negócio de comunicação na Cuba que virá com a queda de Castro? Claro que não.
Comparar essa moça a Assange é desmerecer o trabalho magnífico do WikiLeaks. Ela só existe como fruto da degenerescência de um regime anacrônico, sustentado, paradoxalmente, pela asnice e estreiteza política da extrema direita norte-americana. Baixe o bloqueio, volte as relações diplomáticas com Cuba, restabeleça uma relação política civilizada que o regime cubano, que hoje parece sólido. desmancha no ar, sublima, e essa moça volta a irrelevância que teria num país como o Brasil, por exemplo.

Nenhum comentário: