25 de jan de 2013

A IMPORTÂNCIA DO FOGO NA CULINÁRIA



Quem já pegou e comeu tanajura? Para os que não sabem tanajura é fêmea da formiga saúva, que quando sai do formigueiro para construir uma nova colônia é capturada e comida como uma iguaria. A tanajura tem um forte cheiro de ácido fórmico que quando processado pelo fogo cria um aroma inconfundível, provocante e delicioso. O cheiro de tanajura assando enche a boca de água de qualquer um que já tenha provado. Pegar tanajuras, entretanto, não é uma tarefa para iniciantes, já que ele tem um ferrão poderosíssimo, um dos maiores do mundo dos insetos. A ferroada de uma tanajura é dolorosa, como enfiar um grampo na mão com um grampeador, então, é necessário aprimorar uma técnica para capturar o animal sem ser atacado. Após a extração do ferrão a tanajura continua viva e pode ser guardada até a hora de ir para a assadeira sem estragar.
Tanajura é comida frita, sem nenhum tempero ou aditivo. Como o sabor é muito ativo, tem quem misture com farinha de mandioca. Existe, entretanto, alguns que comem sem fritar, vivas. Arrancam o ferrão, mastigam e engolem. Isso é visto como um desperdício, já que o verdadeiro sabor da iguaria só acontece após a fritura.
Geralmente coisas cruas, sem o processamento do fogo, têm sabor inferior e até mesmo insuportável. Ostra viva é um exemplo. Essa iguaria é comida sem mastigação, sem permanecer na boca, logo não é degustada, apenas engolida. O sabor que fica é apenas a mistura do limão com o azeite, geralmente de péssima qualidade. Comer ostra viva é uma espécie de "oba-oba" de beira mar. O mesmo acontece com o Sashimi. O sabor que é degustado é o do molho onde o peixe é mergulhado.
Eu não como tanajura viva, ostra viva e muito menos Sashimi.

Nenhum comentário: