13 de dez de 2012

SE VIVO FOSSE...


Viva Luiz Gonzaga, o rei do baião!
Passarei minha vida falando de Gonzaga, mas hoje quero tratar de outra coisa, um deslize estilístico comum cometido por jornalista quando falam de personalidades que já morreram.
É um jargão de abertura, um lugar comum para abrir um texto comemorativo, assim: "se vivo fosse fulano teria x anos...". Para se obter o efeito desejado a construção deve ser usada para alguém que morreu cedo. Então, poderia ser assim: Se vivo fosse Cazuza estaria com 54 anos, etc. Ou seja, estaria produtivo, nos alegrando, coisa e tal.
Quando a construção é usada para pessoas que morreram há muito tempo perde o sentido: Se vivo fosse Pixinguinha estaria com 115 anos...ou seja, se vivo fosse já teria morrido há muito tempo.
Hoje é o dia. Gonzaga completaria, se vivo fosse, 100 anos e já estaria mortinho da silva.
Rarará!

Nenhum comentário: