28 de nov de 2012

AS BELAS QUE ME PERDOEM, MAS A FEIURA É FUNDAMENTAL


Para Santo Agostinho "O mal é a ausência do bem". Ora, assim, tirando o bem, teremos o mal puro, logo, conseguimos criar uma escala de presença onde o mal forma o ambiente, o background  para o surgimento do bem, ou seja, o mal é fundamental, primordial, e o bem apenas derivado, posterior, produto.
Faz todo sentido. Veja o que afirma a grande filósofa Rita Lee "A feiura só ganha da beleza em tempo de duração  o que é uma verdade evidente, já quem a beleza é passageira e sempre vencida pela feiura.
Assim, temos uma ideia similar à de Agostinho aplicado ao dueto feiura/beleza, onde a feiura cria a base para a beleza, sendo a ela anterior. Nascemos com cara de joelho e morremos com jeitão de maracujá de gaveta.
Depois desses argumentos concluo contra Vinícius de Moares e afirmo com certeza inabalável:
"As belas que me perdoem, mas fundamental mesmo é a feiura".
E tenho dito.

Nenhum comentário: